segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Dê ao usuário o que ele quer, e precisa, não invente moda.

Eu tinha 3 horas, o usuário me chamou para free lancer, era um dia de folga eu fui.
Cheguei lá e não era bem aquilo que eu tinha imaginado...
Não era o que prometia... Precisavam de um DBA... para fazer uma modelagem de um controle de projetos, movimentação de estoque...


Me deram 1 planilha em Excel...para importar para um banco Access...

OK, eu já tinha me comprometido, precisava da grana para comprar fraldas para o bebê novo... era um freela...

Respirei fundo.. e comecei a modelar uma tabela de pessoas, tabela de movimentacao de estoque, ordem de servico, e produtos.

Fiz as Foreign Keys... Primary Keys...Criei 2 visoes, e viz uma rotina em VBA para importar dados do Excel e montar uma tabela de relacionamento '1/N em um update mais complexo...


O tempo não passava, era quase 1 hora e meia de serviço eu tava 4 noites em dormir direito durante a semana q meu filho nasceu... faria. terminaria a tempo.. eu precisava voltar para casa, 3 horas se passaram e eu terminaria ileso...

Olhei para o cliente, era um senhor de 50 e poucos anos, ele estava feliz  com o resultado com o progresso...Lembrei o que motivava, não era a linguagem a tecnologia, mas era fazer o usuário feliz, era fazer algo útil, mesmo que descartável, não na melhor linguagem ou mais perfeito, mas era ter um tempo x, e programar em XP com o cliente... Sem burocracia, ver o resultado final...

O cliente ainda me perguntou se eu podia cria um formulário para ele para simplificar a entrada dos dados.

Fiz (era fácil, ele sorriu).

Deu as 3 horas, q tinhamos combinados... quando me dei conta tinha montado um sistema de controle e movimentacao de ordem de serviços...

Já tinha feito uns 3 backups do arquivo e montado um relatório (chega hora de tomar uma cafezinho e ir)...



As fraldas estavam garantidas (2 filhos é fogo!) a noite eu iria dar aula de C++ para uns alunos do CEFET...(q forma de passar o tempo livre..)


Foi bem legal, durante a exaustão, eu tava cansado, e alerta, eu vi o que realmente importava para pessoas... era ter alguem de confiança que pudesse fazer o trabalho que eles precisavam que estes tais de computadores complicados não conseguem fazer.. assim traduzir as coisas complicadas e dar resultados...


Era uma industria, bem simples, engenheiros mecânicos, um departamento financeiro.

;-) Lição aprendida: dê ao cliente o que o usuario precisa, e ele vai confiar em você, de mais do que ele precisa se for necessário com o tempo, entenda o que as pessoas querem, cuidado para não criar problemas desnecessários.

Ponto para o Access (não é a melhor ferramenta, mas para o que ele precisava, naquele momento era de bom tamanho)

QuickWin, talvez logo logo migrem para MySQL e um sistema em Python... mas talvez a necessidade seja tão efêmera falha apena.


Não critique faça!
Postar um comentário