sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Trishula

Hoje numa conversa de café, reconheci  num amigo um caminho que eu poderia ter trilhado, mas não trilhei... me arrependo? Não, mais teria sido interressante...


Em 1998, eu trabalhava na Siemens Curitiba no departamento de HelpDesk instalando e configurando máquinas com Windows 95, NT 4. Um trabalho honesto, onde eu tinha a oportunidade de conhecer diversos software que precisavam ser instalados com os computadores. Na época para aumentar a produtividade um equipe vez algumas macros para instalar automaticamente software nos computadores sem a intervenção do instalador de helpdesk (atendente local). Esta equipe estava usando uma ferramenta chamada Microsoft Test 3.0 que consistia em uma ferramenta de teste automatizado (estamos falando de 1998) utilizada na Siemens na época para testar software de central telefônica.

Como bom curioso, eu fiquei na espreita do projeto e queria muito participar, mas eu não era um dos favoritos pois ainda não tinha amigos muito queridos e meu lado social Nerds também não ajudava muito...


Bom esta equipe falhou, e o resultado final deles ficou muito ruim, para ser uma idéia a macro  era baseada em eventos de mouse (posiçõe x,y) na tela e sõ funcionava em resolução de 800x600 (tirem saro, mas na época tinhamos placa de redes como  Trident 9440 e Trident 9680) com memória de vídeo de 4MB e 8 MB.


Eu pedi para entrar no projeto e o pessoal disse que vai, pega dá um jeito se você fizer algo que funcione mostre para gente...

Eu tinha acabado de entrar no Curso de Engenharia da Computação da PUC PR (a tarde) meu estágio na Siemens era de Manhã e eu dava um duro danado para sair do CIC (Cidade Industrial de Curitiba) e ir até a PUC e voltar a noite para casa. muito contramão... Colombo CIC (falcao cinza que o diga).

Então ,eu olhei para aquela linguagem, era Basic, basicamente e comecei a explorar o help e a biblioteca, fazer umas rotinas simples.. para detectar botões na tela, e clicar neles se existissem (coisa óbvias, pq oras, pq eu queria localizar algo se não utilizá-lo) Era lindo, uma linguaguem simples, eu tinha o controle sobre todos os elementos da tela, podia clicar no Iniciar do WIndows, postar macros de teclados, digitar comandos....Comecei a otimizar, descobrir como os arquivos CPL (Control Painel) funcionavam, entender os EntryPoints das DLL, chamar eles por linhas de comando...
Começava a fazer as coisas na sexta de madrugada e quando via já era segunda de manhã....

Eu parecia uma criança, queria mais... Descobri o Resource KIT do Windows 95/NT e comecei a explorar as chamadas do REgistry, entender como funcionava, descobri as ferramentas do SysInternals que me diziam exatamente onde as coisas estavam sendo alteradas... derrepente tudo fez sentido, aquela caixa preta da Microsoft podia ser quebrada, eu podia modificar para criar a instalação padrão, ir atrás das chaves de registro não documentadas e funçando, funçando.. e BINGO.. eu entendi como a parte de detecção de hardware funcionava com os aruqivos INF e como a chamave \enum funcionava e o pulo do gato na época.. isto 1999 sem youtube, sem google sem nada, modificá-la...



Deu Certo!!!! eu falei cara, agora eu consigo criar uma imagem genérica para usar em hardware diferentes em computadores diferentes.... Eram COMPAQ (Deus a tenha!) e micros XINGLING... placas ASUS eram o máximo na época.. Notebook com placas PCMCIA (pessoal mais novo vá e pesquise no GOogle) e a nossa velha de guerra XIRCOM PARALELA (Sim tinha placa de rede paralela)... eu tinha a faca e queijo na mão então juntei as peças...


Porque não fazer esta macro fazer todo o trabalho para mim? Instalar todo o Sistema Operacional e também todos o software digitando apenas um número de chamado????


Então meus amigos nasceu o projeto: JADE (Join Access Developers Enhanced)
o nome era JADE mas eu quis dizer que representava algo bonito, mas na verdade era porque eu gostava de uma menina e na época eu era muito bom em Mortal Kombat 2.

Bom eu tinha pego o Windows 95 OSR2 C, tirado o excesso de peso, limpado e lixado e deixei ele lindo com 8MB (era uma brincadeira de lab... não foi usado comercialmente) sabe a Microsoft poderia não gostar disto na época.. zipei os 8MB  e coube num disketue de 1,44MB.. (Duvido que vc consiga fazer isto hoje!!)) heheh

O diskete botava, detectava a placa de rede, carrega o WIndows do diskete numa ramdrive e inicia a interface gráfica do Windows 95. Depois ele carregava um Wizard que fiz em Basic onde digitava o número do chamado.

O Diskete se conectava a um servidor de arquivos... e descomctava um Zip enorme de 500MB com uma instalação padrão... Na época as redes DOS eram em formato 8.3 e usar o ZIP Win32 foi genial pq permitia que eu usasse FAT32 para criar diretórios com nomes grandes...

E pronto o DISCO HD do cliente estava com todas as pastas do Windows Criadas, Office criado e agora eu só precisava bootar o sisteama...


PARTE 2 a mágica continua..

Quando o Windows entrava, ele detectava o hardware e umas macros de resposta que tinha feito entravam em ação para instalar o hardware e o software básico (drivers).... Todas as placas de rede, video, som, mouse etc eu embutia na imagem e criava arquivos de resposta...
Eu era o mágico do Básic na época e sabia fazer VBS, MST e batch como ninguem...
Quando todo o hardware estava instalado, o sistema detectava a rede e começava a parte 3.


PARTE 3. Rede OK, vamos instalar o software básico usando numero do chamado...
Lembra daquelas telas de instalação usadas na parte 1... então eu não manjava de banco de dados na época e nem C direito... Pessoal, dá um tempo naquela epoca a gente não tinha tanta opção como hoje, e eu tava gatinhando ainda com os meus printf... scanf..
Ah eu tinha matado muita aula para fazer tudo isto... ao invés de ir para Universidade eu passava madrugas, horas em casa programando, isto sim era divertido..

A A instalação usava arquivos de flag para consultar ida e volta para saber o q tinha feito ou não.. e a medida que ia fazendo ia excluindo estes arquivos...

Aquilo não bastava.. eu sabia que podia melhorar mais e eu queria...

Eu sabia que queria instalar 10 , 20 , 50 computadores ao mesmo tempo e fazer meu departamento lucrar, e eu parar de fazer aquilo (não programas mais sim parar de ser o cara das instalações e ir para o departamento de SUPORTE) Cara a gente tinha uma richa entreo HELPDESK e SUPORTE...

Então, eu tive uma luz, criei o projeto SHEEVA... (OK, eu gostava de mortal KOMBAT e queria que Sheeva, por ter vários braços controlassem os clientes JADE).

Então Sheeva nasceu... era um servidor de balanceamento que dizia onde as JADE iam se conectar e controlar as instações...

Na época era revolucionário, não precisar mais tirar a máquina do cliente e aquel diskete magico deixar a maquina do cliente pronta em menos de 1 hora....


Heheheh nem o SMS 1.2 tinha feito melhor.. nem o GHOST...


Dae....

surgiu o projeto FÊNIX....


Uns caras da Siemens São Paulo, começaram a recrutar as pessoas para trabalhar neste projeto que consistia migrar todo o parque da Siemens Brasil de Windows 95 para Windows XP e migrar os NT Server para Windows 2000 SErver com um Active Directory unificado.


Galera, eu não dei um DC PROMO, eu era um piá naquela época e os manda chuvas que tinha os tais cursos oficiais e certificações... Baboseiras que agente acreditava que transformava alguem em especial... (BRAINDUMP depois mostraram que não era verdade, e o que importa é  experiência com compent~encia).


OK, eu entrei no projeto FENIX para acompanhar as instalações e conhecer o projeto da ALEMANHA que tinha o VIsual Basic FOR DOS (Sim, FOR DOS). Eu tava pasmo, meu disketezinho já era... :-(

Mas amigo, o diskete deles não tinha a minha experiência e não estava pronto para a diversidade que eu já tinha enfrentado...

Eu já te falei que nesta altura eu ja tava cabeludo, gordo e mais antisocial.. nem via direito a luz do dia..

Bom tive que parar de comer SODEXSO fazer dieta, aprender a falar e entrar no projeto.

O projeto deu Errado... eles tinhas 4 dias para migrar o site de Curitiba e não tinham feito nada em 3 dias.. eram 3 dias sem dormir.. (fiquei 72 horas direto - não lembro direito eu acho q existia Diablo 1, e eu era viciado nele...) Bom, no 4 dia desistiram da alta tecnologia alemã e falaram, vai lá usa o seu disketezinho...

Eu usei e deu certo! BINGO! Sucesso, lá fui eu instalar Manaus, Recife e Rio de Janeiro....


Eu sabia o erro do diskete da Alemanha, mas não tinha jeito, era um problema de alziemer binário...


Pessoal, quis escrever isto, para melhorar depois a história.. não quero ficar com ela na cabeça.

Filhos, eu tinha uns 19 ou 20 anos...

Dividia o apt com a irmã de um amigo meu (a gente tava namorando)...

Depois desta ganhei uma bela promoção, pulei uns 3 a 4 posições, e pedi para ir para o Suporte, para me treinarem para ser DBA... (tava feita a meleca.. eu comecei a aprender banco de dados e desenvolvimento PSSQL) Não pareimais...

declare @newDBA varchar(8000)

Conheci Cesar (falecido) e  a Fabiane...

Duas figuras clássicas que moldaram meu carater e me ensinaram ser um dos profissionais mais respeitados e demidos da minha época.

Fiquei 2 a 3 anos como DBA e pedi para sair.. para começcar a trabalhar num projeto de um ex funcionário da Microsoft.. com uma linguaguem q era novidade em 2002 o C# e um tal de BizTalk Server 2002.

Lá esta eu.. deixando  o conforto da Siemens para ir para a minha primeira de muitas fábricas de software...


Eu tava virando desenvolvedor... e agora não tinha mais jeito.. a brincadeira ficou séria...

Ah tá que caminho era este???
Eu ganhei 2 SETAC feira de Engenharia (eu tava apenas no 1 semestre!! isto mesmo!) e a Conectiva viu meu instalador xunxado e queria q eu fizesse o instalador do COnectiva na epoca..

Eu não botei fé... morava de aluguel e me sustentava sozinho.. ainda tinha a facul para pagar... ir para ganhar uma ninharia na Conectiva não dava par amim, era um sonho trabalhar com Linux, q eu tive que esperar 10 anos depois na ISR na ára de Security...
Postar um comentário